Google+ Followers

domingo, 22 de outubro de 2017

quarta-feira, 13 de setembro de 2017


Artesanato no Brasil



O artesanato brasileiro é um dos mais ricos do mundo e garante o sustento de muitas famílias e comunidades. O artesanato faz parte do folclore e revela usos, costumes, tradições e características de cada região. Os índios são os mais antigos artesãos. Eles utilizavam a arte da pintura, usando pigmentos naturais, a cestaria e a cerâmica, sem esquecer a arte plumária como os cocares, tangas e outras peças de vestuário feitos com penas e plumas de aves.
Tipos de Artesanatos Brasileiros
Cerâmica e bonecos de barro:


É a arte popular e de artesanato mais desenvolvidas no Brasil e desenvolveu-se em regiões propícias à extração de sua matéria prima - o barro. Nas feiras e mercados do Nordeste, se encontram os bonecos de barro, reconstituindo figuras típicas da região, como os cangaceiros, retirantes, vendedores, músicos e rendeiras.
Entalhe de madeira:
  

 Caruaru, em Pernambuco, é o maior centro de arte
 figurativa da América segundo a UNESCO.[3]

É uma manifestação cultural muito utilizada pelos índios nas suas construções de armas, utensílios, embarcações, instrumentos musicais, máscaras e bonecos. Os artesanatos em madeira produzem objetos diversificados com motivos da natureza, do universo humano e a fantasia. Exemplos disso são as carrancas, ou cabeças-de-proa, os utensílios como cocho, pilão, gamelas e móveis simples e rústicos, os engenhos, moendas, tonéis, carroças e o maior produto artesanal em madeira - contando com poucas partes de metal - são os carros de bois.
Cestas e trançados:

A arte de trançar fibras, deixada pelos índios, inclui esteiras, redes, balaios, chapéus, peneiras e outros. Quanto à decoração, os objetos de trançados possuem uma imensa variedade, explorada através de formas geométricas, espessuras diferentes, corantes e outros materiais. Esse tipo de artesanato pode-se encontrar espalhados em diversas regiões do Norte e Nordeste do Brasil como, na Bahia, Mato Grosso, Maranhão, Pará e o Amazonas.
Artesanato indígena:

  Cestas feitas com Vime


Cada grupo ou tribo indígena tem seu próprio artesanato. Em geral, a tinta usada pelas tribos é uma tinta natural, proveniente de árvores ou frutos. Os adornos e a arte plumária são outro importante trabalho indígena. A grande maioria das tribos desenvolvem a cerâmica e a cestaria. E como passatempo ou em rituais sagrados, os índios desenvolveram flautas e chocalhos.

Fonte: https://pt.wikipedia.org





Como surgiu o artesanato

imagem meramente ilustrativa

A história aponta que o artesanato surgiu na Pré-História, mais precisamente no período neolítico (6000 a.C). Foi nesse período que o homem aprendeu a polir a pedra, fabricar cerâmica, tecer fibras animais e vegetais, etc.
Foi da necessidade de produzir itens de uso do dia-a-dia para sua sobrevivência; ou mesmo da criação de alguns adornos, que começaram a expressar a capacidade criativa e produtiva como forma de trabalho. As pessoas dessa época usavam as peças que faziam manualmente para caçar, confeccionar roupas e até mesmo pequenas estátuas e pinturas.
O trabalho tinha um caráter familiar, muitas vezes todos os integrantes costuravam, cortavam, poliam ou seja produziam as peças juntos.. Começou como uma forma de produção de produtos para sobrevivência da família; mas com o passar dos anos se tornou uma forma de sustento e renda.

A Revolução Industrial

A partir da Revolução Industrial, que iniciou na Inglaterra durante o período de 1760, o artesanato foi fortemente desvalorizado. Essa forma de trabalho deixou de ser tão importante, já que neste período capitalista o trabalho foi dividido colocando determinadas pessoas para realizarem funções específicas. Essas pessoas passaram a trabalhar dentro de fábricas e por esse motivo deixaram de participar de todo o processo da fabricação familiar.
Além disso, os artesãos que restaram passaram a submetidos à péssimas condições de trabalho e baixa remuneração. Uma vez que precisavam competir com um mercado de produção industrial. Muito mais rápido do que o tempo que o artesão levava para montar as suas peças.
Porém felizmente, o artesanato voltou a ser valorizado e ter um grande prestígio na sociedade; ainda usa elementos naturais em suas peças e pode ser encontrado e qualquer região do mundo. O artesanato se manifesta de várias formas e é por isso que é uma das partes mais essenciais para a valorização de uma cultura.
Fonte: http://blog.horlle.com.br
O que é artesanato?

  
O artesanato busca utilizar elementos naturais em suas peças
Imagem meramente ilustrativa

O artesanato é uma técnica manual utilizada para produzir objetos feitos a partir de matéria-prima natural. Normalmente, os artesanatos são fabricados por famílias, dentro de sua própria casa ou em uma pequena oficina. Tal técnica é praticada desde o período antigo, denominado Neolítico, quando poliam pedras para fabricar armas e objetos de caça e pesca, cerâmica para guardar alimentos e tecelagem para fabricar redes, roupas e colchas.

A partir da Revolução Industrial, que iniciou na Inglaterra, o artesanato foi fortemente desvalorizado, deixou de ser tão importante, já que neste período capitalista o trabalho foi dividido colocando determinadas pessoas para realizarem funções específicas, essas deixaram de participar de todo o processo de fabricação. Além disso, os artesãos eram submetidos à péssimas condições de trabalho e baixa remuneração. Este processo de divisão de trabalho recebeu o nome de linha de montagem.

Hoje, o artesanato voltou a ter prestígio e importância. Continua a buscar elementos naturais para desenvolver suas peças originadas do barro, couro, pedra, folhas e ramos secos entre outros. Em todas as regiões é possível encontrar artesanatos diversificados originados a partir da natureza típica do local e de técnicas específicas.


O artesanato é reconhecido em áreas como a de bijuterias, bordados, cerâmica, vidro, gesso, mosaicos, pinturas, velas, sabonetes, saches, caixas variadas, reciclagem, patchwork, metais, brinquedos, arranjos, apliques, além de várias técnicas distintas utilizadas para a fabricação de peças.

    Por Gabriela Cabral
    Equipe Brasil Escola



Fonte: http://brasilescola.uol.com.br/artes/artesanato.htm


domingo, 30 de julho de 2017

Molde - Cisne em eva

Cisne em eva

 esse trabalho foi elaborado  e confeccionado pelo Ateliê As arteiras
clique na imagem para ser direcionado ao nosso canal e assistir o PAP desse trabalho









sexta-feira, 11 de março de 2016

As utilidades da borra de café


Não coloque as borras de café no lixo! Elas podem ter utilidades que nunca imaginou!

Qualquer pessoa depois de fazer o café tem por hábito deitar as borras de café para o lixo, pensando que elas não poderão ter mais utilidade nenhuma. Mas aqui vamos mostrar-lhe que está enganado se pensa assim, pois essas borras de café têm várias utilidades fantásticas que provavelmente nunca imaginou. Descubra aqui quais são elas.

Conheça as várias utilidades que as borras de café podem ter:

Desentupir o lava-louças:

À primeira vista o que parece ser um absurdo, mas as borras desentopem mesmo o lava-loiças. Experimente!

Acaba com as formigas de vez

É só fazer um caminho com a borra já seca e ”adeus” formigas. Se não quiser sujar o armário ou outro compartimento coloque num prato pequeno as borras que funciona igualmente. No jardim também consegue dar um fim a elas. Coloca o café coado inteiro em cima delas.

Elimina o mau cheiro do frigorífico

Basta colocar num pires as borras dentro do frigorífico. Pode também colocá-las dentro de um pacote de manteiga vazio e fazer uns furos na tampa.

Afasta os gatos do jardim

Se o gato não gosta de usar a caixa de areia coloque um prato com as borras de café onde ele costuma ir e troque-o semanalmente.

Ótimo esfoliante de pele.

Basta seguir a receita:
  • 1 chávena de borra de café quente
  • 1/2 chávena de açúcar ou sal
  • 1 colher de sopa de azeite
Espalhe pela pele, em especial nos pés e cotovelos. Deixe atuar alguns minutos e depois retire.

Elimina mau cheiro dos ralos.

Basta colocar meia chávena de borra de café no ralo e logo de seguida 5 chávena de água quente e adeus odor!

Adeus cheiro de alimentos nas mãos

Elimina cheiro a peixe, alho, cebola, coentro e muitos mais condimentos. É só esfregar a borra de café nas mãos e sai logo. De seguida é só lavar as mãos.

Fertilizante para as plantas

Coloque um pouco da borra de café nas plantas e no jardim, e elas ficarão mais belas e fortes. Por ser rica em nitrogénio ela é um excelente fertilizante, além de proteger as raízes contra fungos.


http://www.dicasonline

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Todos contra o Zika Vírus




vacina





Resultado de imagem para atividade da zika virus para o 2º ano

Resultado de imagem para atividade da zika virus para o 2º ano

Resultado de imagem para atividade da zika virus para o 2º ano


Resultado de imagem para Aedes aegypti

Contagem 2º ano



Agrupamento

Antecessor e sucessor







Trabalhando com nomes

Ditado colorido




domingo, 14 de fevereiro de 2016

Sejam bem vindos!



Primeiro dia de aula

"A suprema arte do professor é despertar a alegria na expressão criativa do conhecimento, dar liberdade para que cada estudante desenvolva sua forma de pensar e entender o mundo, assim criamos pensadores, cientistas e artistas que expressarão em seus trabalhos aquilo que aprenderam com seus mestres."Pensamento de Albert Einstein". 



A Caixa Mágica

Definição: Trata-se de ir tirando diversas coisas de uma caixa, de forma imaginária. 

Objetivos: Estimular a imaginação e a capacidade gestual. 
Consignas de partida: De uma caixa mágica nós podemos tirar qualquer coisa. 

Desenvolvimento: 
1. As pessoas ficam ajoelhadas e colocam o rosto entre as pernas. O animador diz: "se abre a caixa e dela saem ... (por exemplo: motos). Todos os participantes imitam o objeto mencionado e faz o som e gestos correspondentes. Quando se diz: "fecha a caixa", todos voltam à posição inicial. A caixa abre de novo e sairá outros objetos: cachorro, borboletas, etc. 

De QUEM É O DESENHO?

Material: Toca-fitas com boa potência. Folhas avulsas de sulfite, lápis e borracha.
Desenvolvimento: O professor deverá fazer dois grupos de alunos em dois círculos na sala com as carteiras.
Colocar uma música e distribuir as folhas para os alunos que deverão desenhar qualquer coisa ou a critério do professor.
Quando o professor parar a música, os alunos deverão passar a folha para o colega da direita (a folha não deverá ter nome) até o professor dar o sinal de parar.
Na hora que chegar a folha na primeira pessoa do grupo esse mesmo colega tenta adivinhar de quem é o desenho.
Podem-se trocar as folhas entre os grupos ou não.
Se um do grupo acertar de quem é o desenho, o grupo ganha um ponto e se não acertar, um ponto para o outro grupo. E assim continua a brincadeira.
Conclusão: abordagem às vivências do Grupo, criatividade e o conhecimento de cada integrante.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Jogo da memória

 Ao longo da história, vários estudos se mostraram eficientes no âmbito da coesão entre o lúdico e o letramento. Vários teóricos também afirmaram e comprovaram a importância dos jogos e brincadeiras, na educação escolar. O jogo faz parte do ambiente natural da criança, ao passo que as referências abstratas e remotas não correspondem aos seus interesses. 

Piaget (1976) afirma que os jogos e as atividades lúdicas se tornam significativas, à medida que a criança se desenvolve, com a livre manipulação de 13 materiais variados, ela passa a reconstituir e reinventar as coisas, o que já exige uma adaptação mais completa. Essa adaptação só é possível a partir do momento em que em que ela própria evolui internamente, transformando essas atividades lúdicas (que é o concreto da vida dela) em linguagem escrita (que é o abstrato). 

Vários são os teóricos que afirmam que os jogos contribuem de maneira significativa para o desenvolvimento das crianças, não só no que diz respeito à construção do conhecimento e, consequentemente, na aprendizagem, mas também no desenvolvimento das capacidades sociais, pessoais e culturais que acabam por contribuir para a construção do pensamento e conhecimento. Dentre eles, pode-se destacar: Montessori, Dewey, Frobel, Pestalozzi, Comenius, Decroly, Piaget e  Vygotsky. A base de defesa desses teóricos é que os jogos são primordiais no processo de aprendizagem de crianças.  




















Conto: "A árvore dos problemas"


Esse conto é bem conhecido, mas sua autoria é ignorada. Vale ler e refletir.


A árvore dos problemas

"Esta é uma história de um homem que contratou um carpinteiro para ajudar a arrumar algumas coisas na sua fazenda. O primeiro dia do carpinteiro foi bem difícil. O pneu da seu carro furou. A serra elétrica quebrou. Cortou o dedo. E ao final do dia, o seu carro não funcionou. O homem que contratou o carpinteiro ofereceu uma carona para casa. 
Durante o caminho, o carpinteiro não falou nada. Quando chegaram à sua casa, o carpinteiro convidou o homem para entrar e conhecer a sua família. 
Quando os dois homens estavam se encaminhando para a porta da frente, o carpinteiro parou junto a uma pequena árvore e gentilmente tocou as pontas dos galhos com as duas mãos. Depois de abrir a porta da sua casa, o carpinteiro transformou-se. 
Os traços tensos do seu rosto transformaram-se em um grande sorriso, e ele abraçou os seus filhos e beijou a sua esposa. Um pouco mais tarde, o carpinteiro acompanhou a sua visita até o carro. 
Assim que eles passaram pela árvore, o homem perguntou: 
- Porque você tocou na planta antes de entrar em casa ??? 
- Ah! esta é a minha Árvore dos Problemas. Eu sei que não posso evitar ter problemas no meu trabalho, mas estes problemas não devem chegar até os meus filhos e minha esposa. Então, toda noite, eu deixo os meus problemas nesta árvore, quando chego em casa, e os pego no dia seguinte. E você quer saber de uma coisa? Toda manha, quando eu volto para buscar os meus problemas, eles não são nem metade do que eu me lembro de ter deixado na noite anterior."
Créditos: http://ciganagabriela.blogspot.com.br/