Google+ Followers

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O menino e o padre



Conto regional do Nordeste (autor desconhecido)

Um padre andava pelo sertão, e como estava com muita sede, aproximou-se duma cabana e chamou por alguém de dentro. Veio então lhe atender um menino muito mirrado.

- Bom dia meu filho, você não tem por aí uma aguinha aqui pro padre?

- Água tem não senhor, aqui só tem um pote cheio de garapa de açúcar! Se o senhor quiser... - disse o menino.

- Serve, vá buscar. - pediu-lhe o padre.

E o menino trouxe a garapa dentro de uma cabaça. O padre bebeu bastante e o menino ofereceu mais. Meio desconfiado, mas como estava com muita sede o padre aceitou. Depois de beber, o padre curioso perguntou ao menino:

- Me diga uma coisa, sua mãe não vai brigar com você por causa dessa garapa?

- Briga não senhor. Ela não quer mais essa garapa, porque tinha uma barata morta dentro do pote.

Surpreso e revoltado, o padre atira a cabaça no chão e esta se quebra em mil pedaços. E furioso ele exclama:

-Moleque danado, por que não me avisou antes?

O menino olhou desesperado para o padre, e então disse em tom de lamento:

- Agora sim eu vou levar uma surra das grandes; o senhor acaba de quebrar a cabacinha de vovó fazer xixi dentro!




domingo, 24 de maio de 2015

Probleminhas

Ditado numérico

A casinha da vovó













Resultado de imagem para atividades para trabalhar a parlenda a casinha da vovó



As diferentes festas juninas no Brasil

Histórias, brincadeiras e comidas típicas para você se divertir com a família e os amigos
Por Ana Carolina Soares
Fonte: Revista Ana Maria nº 141, 21 jun. 1999, págs. 60-63.

Comemorar o mês de junho é um hábito antigo em várias partes do mundo. Nos países católicos da Europa, as festas juninas são uma tradição desde o século 4º. O primeiro nome que receberam, "joaninas", foi em homenagem a São João e acabou sendo modificado ao longo dos anos. "Os Santos Antônio e Pedro também são festejados em junho, mas São João sempre teve mais devotos no continente europeu. Por isso, a festa recebeu o nome dele", diz Maria do Rosário Tavares de Lima, vice-presidente da Associação Brasileira de Folclore.
O costume chegou ao Brasil junto com os colonizadores portugueses e acabou recebendo influências culturais de cada região. São vários os modos de comemorar as festas juninas de norte a sul.

Nordeste: No embalo do forró, as festas juninas são destaque em Campina Grande, na Paraíba, e Caruaru, em Pernambuco. Nessas cidades, elas duram um mês. Em Campina Grande, as principais atrações ficam por conta dos shows (grátis), no Parque do Povo, e da brincadeira conhecida por "trem forroviário", em que os passageiros viajam dançando nos vagões ao ritmo do forró. Ele circula entre Campina Grande e o distrito de Galante nos dias 13, 20, 23 e 27 de junho e 4 de julho. O "trem do forró" também anima Caruaru. Ele parte da capital, Recife, com destino a Caruaru, nos dias 12, 13, 19, 20, 23, 26 e 27 de junho.

Sudeste: Além da comida típica (pipoca, pé-de-moleque e quentão, entre outros), nas festas juninas desta parte do país come-se cachorro-quente, pastel e até mesmo pizza. Na hora de brincar, todos participam das pescarias, dos concursos de quadrilha e do casamento na roça ao som de música sertaneja.

Centro-Oeste: Nessa região, a festa é influenciada por hábitos típicos dos países fronteiriços (em especial o Paraguai). Além da quadrilha e dos pratos típicos, as festas juninas acontecem ao som da polca paraguaia e toma-se a sopa paraguaia (que, na verdade, é uma espécie de bolo de queijo). O ritmo sertanejo dá o compasso da festa.


Sul: A tradição gaúcha ordena que se reúna a família ao redor da mesa de jantar. E que se passe a noite saboreando comidas típicas, como arroz-de-carreteiro, feijão-mexido e pinhão cozido na água ou assado na brasa.

Norte: A festa típica é ofuscada pelo festival folclórico de Parintins, que ocorre no final de junho no Amazonas. Em lugar da quadrilha, ouve-se a toada do boi-bumbá. São servidas receitas regionais como tapioca (à base de mandioca) e tacacá (bebida de origem indígena).



0129-fantoche-ariticulado-festa-junina

0140-festa-junina-zona-rural-urbana














Resultado de imagem para capelinha de melão





































domingo, 10 de maio de 2015

Família



Quadrinha

Sempre contando





Pé de cachimbo

          Nome da Parlenda: Pé de cachimbo

Competências Leitura; produção textual; oralidade;
Objetivos Ler a parlenda com entonação de voz;
Perceber as palavras que rimam;
Identificar e ler palavras e frases;
Escrever palavras relacionadas à parlenda;
Ilustrar a parlenda de forma criativa;
Relacionar figura e ilustração;
Reescrever a parlenda;
Organizar frases do texto.
 Estratégias em Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; Análise Linguística) (Anexar Acompanhar a leitura juntamente com a professora;
Ler coletivamente e individualmente o texto;
Desenhar cada parte da parlenda;
 Ditado: a professora ditará palavras apresentadas no texto e a criança deverá identificá-la e pintá-la; Pintar as palavras que rimam no texto;
 Recortar e colar nas lacunas, as palavras que completam as frases;
 Montar texto fatiado;
Produção textual: reescrita da parlenda utilizando outro dia da semana;
 Cruzadinha;
Escrita espontânea;
Escrever nomes de desenhos apresentados, referente à parlenda trabalhada;
Texto enigmático.

Sugestões de estratégias de outras áreas do conhecimento
Arte: confecção dos objetos encontrados no texto, com dobraduras: cachimbo, jarro, touro, gente.

(Sugestões de atividades retiradas da internet)


  Vamos desenhar a Parlenda :

 1-Hoje é domingo,
 Pé de cachimbo.                            







2- O cachimbo é de barro,
Bate no jarro.






3- O jarro é de ouro,
Bate no touro.






4- O touro é valente,
 Bate na gente.

 5- A gente é fraco,
 Cai no buraco.






 6- O buraco é fundo,
Acabou-se o mundo.









  


 

Grife as palavras que a professora ditar.










Recorte e cole nas lacunas as palavras que completam as frases:

HOJE É DOMINGO HOJE É _____________________________
PÉ DE ______________________________
O CACHIMBO É DE____________________
BATE NO ___________________________
O JARRO É DE _______________________
BATE NO___________________________
O TOURO É_________________________
 BATE NA ___________________________
A GENTE É _________________________
CAI NO ____________________________
O BURACO É ________________________
ACABOU-SE O _______________________



DOMINGO
CACHIMBO
FRACO
VALENTE
OURO
BURACO
GENTE
TOURO
FUNDO
BARRO
JARRO
MUNDO



Recorte e monte o texto :


HOJE É DOMINGO,
HOJE É DOMINGO,
PÈ DE CACHIMBO
O CACHIMBO É DE BARRO,
BATE NO JARRO.
O JARRO É DE OURO,
BATE NO TOURO.
O TOURO É VALENTE,
BATE NA GENTE.
  A GENTE É FRACO,
CAI NO BURACO.
  O BURACO É FUNDO,
ACABOU-SE O MUNDO.

Reescrita coletiva, em dupla e individual

Pé de cachimbo





Trabalhando o alfabeto